Chefe Cordeiro

Chefe Cordeiro

José Cordeiro nasceu em Angola em 1967 e sendo filho de portugueses de Trás-os-Montes, é nesta terra, na qual cresceu, que encontra as suas origens e também a inspiração para cozinhar, conjugando com diversos produtos portugueses, a ligação fraterna com a nossa terra e as nossas gentes.

 

Após várias experiências internacionais, trabalhou como Chefe Executivo em alguns dos mais emblemáticos espaços a nível nacional.

 

Em 2005, a Academia Portuguesa de Gastronomia atribui-lhe o prémio de Melhor Chefe de Cozinha. Em Amarante, onde exerceu o cargo de diretor de restauração, chefe supervisor e executivo, o Chefe Cordeiro conquista uma estrela do guia Michelin, nas edições 2005/2006.

 

Em Novembro de 2011, conquista novamente uma estrela Michelin, no restaurante Feitoria, em Lisboa, que revalida em 2012.

 

O final do ano de 2011 ficou também marcado pelo lançamento do seu primeiro livro de receitas As Minhas Receitas para Cozinheiros Amadores. No ano seguinte vê revalidada a estrela e lança o segundo livro Domingos à Mesa.

 

Entretanto, desdobra-se nas múltiplas solicitações que lhe surgem por ser um dos grandes chefes de cozinha do país, pela sua elevada responsabilidade profissional e pelo seu percurso. Conjuga ainda a presidência do júri do concurso A Mesa dos Portugueses e a coordenação técnica da revista COMER.

 

A sua participação como elemento do júri dos programas da RTP1  MasterChef em 2011 e do TopChef em 2012 levou-o mais próximo do público português.

 

Em 2013 e início de 2014 voltou à RTP1 para ser o director do programa Chefs’ Academy e Chefs’ Academy Kids.

 

Atualmente podemos encontrá-lo no seu restaurante Chefe Cordeiro que abriu em Agosto de 2013, na Praça do Comércio, em Lisboa.

arroz de tamboril

Arroz malandro de Tamboril com Gambas e Coentros

Receita incluída no livro “As Minhas Receitas para Cozinheiros Amadores” – Chefe Cordeiro

arroz de pato

Arroz de Pato

Eu nunca levo o arroz de pato nesta fase final ao forno a gratinar. Na minha opinião é completamente desnecessário, porque apenas vai tirar a humidade do arroz.